Memorial Histórico
Campeão Estadual de 1981 PDF Imprimir E-mail

Em pé: Daniel Buckley, Marcelo Nardino, Roque, Zé Ricardo, Serginho, Ronaldo Goldoni (técnico); Agachados: Colin, Michael Buckley, Marcelo Coelho, Maurício, Marquinho, Zé Ronaldo; Sentado: Pedro Cardoso.

 
Jornal dos Sports, Janeiro de 1982 PDF Imprimir E-mail
                                              “Jornal dos Sports” , Segunda-feira, 4 / 1 / 1982

Niterói reage, vence o Flamengo e é campeão.

“Com um gol de Maurício, assinalado no último segundo da partida, o Niterói Rugby derrotou o Flamengo por 13 a 12 (primeiro tempo Flamengo 8 a 7) em partida realizada na manhã de ontem no ginásio do Centro de Esportes de Duque de Caxias, e conquistou merecidamente o Campeonato Estadual de Handebol adulto, promovido pela Federação de Handebol do Rio de Janeiro.

A presença de um grande público e da charanga do saudoso Jaime de Carvalho contribuiu ainda mais para aumentar o nervosismo das duas equipes durante os primeiros cinco minutos. Mais equilibrado e se valendo das excelentes penetrações, o time do Flamengo aos poucos foi dominando a partida e por isso o marcador parcial de 8 a 7 foi perfeitamente justo, apesar da forte reação da equipe de Niterói, que, mesmo se perdendo em arremessos de meia distância, mostrou sempre ser um terrível adversário.

Apesar das melhoras do Niterói, o Flamengo apareceu ainda melhor no segundo tempo, especialmente nas penetrações e na marcação, e por isso liderou o marcador, chegando mesmo a colocar uma diferença de três gols – 10 a 7. Mas, quando tudo fazia crer que o Flamengo já tinha a vitória assegurada, o Niterói reagiu valentemente, e depois de manter um empate em 12 a 12 por mais de quatro minutos, marcou o gol da vitória através de uma bela jogada de Maurício no ultimo segundo, fixando o marcador em 13 a 12.

Mauricio, Zé Ricardo, Serginho e Nardino foram os grandes destaques do Niterói Rugby, e Valter, Alfredo, Armando e Stanley os melhores do Flamengo. Ricardo Bolvino e Walber Santana dirigiram a partida e as equipes jogaram assim:  Niterói Rugby – Serginho, Pedro, Zé Ricardo (3), Collin (2), Michael (3), Maurício (3), Nardino (2), Coelho. Técnico: Ronaldo.  Flamengo – Armênio, Alfredo (2), Stanley, Valter (8), Armando, Antônio (1), Zé Luis e Sérgio. Técnico: Leoni.

Premiação

Logo após o encerramento da partida, o presidente da Federação de Handebol do Rio de Janeiro, Adolfo Filho, fez a entrega dos belíssimos troféus ao Niterói Rugby, campeão, e ao Flamengo, vice-campeão de 1981. Logo após a entrega das medalhas aos vencedores, o goleiro Serginho recebeu uma placa de prata da FHERJ, pelos excelentes serviços prestados a seleção brasileira que disputou o Campeonato Sul-Americano.

A FHERJ deverá realizar no próximo mês de março, a sua festa de encerramento da temporada de 1981. Niterói Rugby e Flamengo  deverão fazer o jogo principal e Sonley e Flamengo (feminino) a preliminar, ambos em disputa do Troféu JORNAL DOS SPORTS.”

 
Bicampeão Estadual 1982 PDF Imprimir E-mail

Campeão Estadual 1982

“O Fluminense” domingo, 5 de setembro de 1982

Niterói Rugby é bi e base da seleção estadual.

Fundado em dezembro de 1973, o Niterói Rugby somente ficou conhecido em 81, quando levantou pela primeira vez o título estadual de handebol, jogando contra equipes de clubes famosos como o Flamengo. Este ano, novamente campeão, a equipe niteroiense começa a aparecer no cenário do handebol do Rio de Janeiro e do Brasil.

No princípio, eram apenas alguns rapazes querendo praticar um esporte sem muitas competições e sem divulgação. E como em Niterói não havia sequer um clube em condições que praticasse handebol em nível de competição, a maioria foi para o Flamengo e alguns ficaram no Clube Português.

Depois de algum tempo, como todos moravam e estudavam na cidade, uma reunião foi convocada e ficou acertada a fundação de um clube de handebol em Niterói, para desenvolver o esporte na cidade e fixar os jogadores locais. E o resultado é o Niterói Rugby, bicampeão do Estado do Rio de Janeiro.

O primeiro ano de disputa e existência do Niterói Rugby foi em 81. O título foi conquistado, mais ainda faltava muita coisa. Hoje, o clube está registrado e começa a fazer um trabalho de base com divisões inferiores, que, segundo o técnico Ronaldo Goldoni, é um trabalho pioneiro: “Sempre aos sábados pela manhã, no Mini Gay-Lussac, em São Francisco, são realizadas as reuniões e os treinos com os interessados. Esse trabalho é essencial, pois é com ele que vamos formar as categorias inferiores para disputar os campeonatos.”

No Niterói Rugby os sócios que sustentam o clube e o time de handebol são os próprios jogadores, treinadores e os dependentes familiares, que assim ajudam no aumentam de receita. O clube, apesar de registrado, ainda não tem sede, o que deverá acontecer até o final do ano.

E todo o clima esportivo dos jogadores e dos técnicos do Niterói Rugby é completado pela parte social, como explica o treinador bicampeão estadual: “É sempre uma festa. Estamos competindo, mas o lado social está sendo desenvolvido. Por isso, é importante  o fato  de sermos todos moradores na cidade. O apoio de alguns clubes em Niterói, para que a equipe fizesse seus treinos não faltou. Os treinos eram realizados no Marília Matoso, no Centro Educacional de Niterói e no Gay-Lussac. Com o título, os jogadores dedicam uma parte dele a essas escolas, que contribuíram com seu espaço para esse sucesso.”

João Batista, um dos jogadores do Niterói Rugby, acha o seu clube uma entidade inteiramente niteroiense e com o fato único no esporte do Estado do Rio de Janeiro: é um time vitorioso, pois só no handebol é que  Niterói  tem expressão no panorama brasileiro: “O handebol é o único esporte de Niterói que está vencendo suas competições e elevando o nome da cidade. Temos muitas dificuldades, vamos competindo por amor ao esporte, no maior amadorismo. Estamos lutando juntos pelo Niterói Rugby, absolutamente por amor.”

Na Categoria masculina, o Niterói Rugby já vem treinando, para as futuras competições, jogadores na categoria infantil, infanto juvenil, juvenil e adulto. No feminino, somente o juvenil, com possibilidades de, num futuro próximo, também começar a treinar jogadoras para o infanto juvenil e infantil.

A sede do Niterói Rugby ainda não existe, mas o clube já está registrado na Federação de Handebol do Estado do Rio de Janeiro. A procura pela sede está sendo feita, mas o local ideal ainda não foi encontrado. Agora a procura será mais intensa, pois terminou o Campeonato Estadual e haverá mais tempo para isso ser feito. Além do handebol, o Niterói Rugby também disputa o Campeonato Estadual de Rugby, junto com o Rio Rugby, Guanabara Rugby A e B. Quando joga em Niterói, seus jogos são realizados no Rio Cricket, sempre com uma boa presença de público. Entretanto, no Rugby, a equipe ainda não teve muita sorte e este ano, perdeu o campeonato para o Rio Rugby.

Os Jogadores

Em pé: Maurício, José Ronaldo, Roque, Marcelo Coelho, Serginho, João, Nardino e Yan (Presidente); Agachados: Ronaldo, Marquinho, Zé Ricardo, Renato, Bené e Pedro. Não estão na foto: Chiquinho e Acyr.

Treze jogadores compõem o elenco do time de handebol bicampeão estadual do Niterói Rugby, a maioria ainda estudando. O técnico é Ronaldo Goldoni, professor de Educação Física e professor do Centro Educacional de Niterói. Foi escolhido para ser o treinador do Niterói Rugby por seus métodos sempre atualizados sobre o handebol. Quando dirigia a equipe de handebol do CEN, nos campeonatos estudantis, venceu a maioria.

Acyr é estudante universitário, cursando a Gama Filho; Renato estuda Direito na UFF; Serginho estuda Economia na Suam; Zé Ronaldo é comerciante em Niterói; Chiquinho estuda Economia na UFF, Zé Ricardo é Médico; Benedito estuda engenharia na UFF; Marcelo Nardino é professor de Educação Física, Marcelo Coelho é Engenheiro; Roque é Arquiteto; João Batista é Construtor; Maurício trabalha em Administração de Empresas; e Pedro estuda Direito na UFF.

E numa demonstração que o time do Niterói Rugby de handebol é mesmo o melhor do Estado do Rio de Janeiro, oito dos seus jogadores foram convocados pelo técnico Ronaldo Goldoni para servirem a seleção do Rio, que, a partir do dia 24 deste mês, começa a disputar a fase classificatória do Campeonato Brasileiro de Handebol. Os jogadores convocados do Niterói Rugby são: Serginho, Zé Ricardo, Marcelo Nardino, Benedito, Pedro, João Batista, Roque e Renato.

 
1982 III Taça Brasil de Clubes Campeões PDF Imprimir E-mail

Jornal do Brasil

Quinta-feira, 2/12/82

Campeão do Rio já tem patrocínio para torneio de andebol.

O Niterói Rugby, bicampeão estadual de andebol, continua sem sede, mas a partir de agora não deixará mais de participar de competições importantes por falta de recursos financeiros. Se até na semana passada a equipe nem material de treinamento possuía, agora tudo mudou. O time recebeu ajuda do grupo Supergasbrás e segunda-feira embarca para o Rio Grande do Sul, com a missão de representar o Rio de Janeiro no Torneio dos Clubes Campeões. Jogará com o nome de Niterói Rugby Supergasbrás.

A história do Niterói Rugby é pitoresca. Seus jogadores, na tentativa de se livrarem da “mão-de-ferro” dos clubes, resolveram fundar sua própria associação. A sede é a casa de um deles; todos os integrantes são pessoas de bom nível intelectual, mas, apesar de todo esforço e dos títulos estaduais já conquistados, sentiram que não teriam condições de seguir adiante. Pensaram até em abandonar tudo.

A impossibilidade de disputar o Torneio de Clubes Campeões, na cidade de Santa Maria, frustrou-os bastante. Quando já haviam se conformado, houve um contato com João Flavio Lemos de Moraes, diretor do Grupo Supergasbrás, interessado em patrociná-los. A participação no torneio foi confirmada e o ritmo de treinamento aumentado sensivelmente.

José Ronaldo, goleiro da equipe e um dos diretores do Niterói Rugby, diz que o contrato com a Supergasbrás poderá ser feito por um longo período. De início, o Grupo se comprometeu a custear apenas a viagem, mas são boas as possibilidades de um compromisso maior.  “Acho que já está tudo certo e independe do resultado nosso no torneio. Eles demonstraram uma boa vontade incrível e a partir de agora, nosso clube passa a se chamar Niterói Rugby Supergasbrás”.

A competição começa no dia 8, vai até o dia 12 (domingo) e a delegação seguirá assim formada: Técnico: - Ronaldo Goldone; Jogadores: José Ronaldo, Sergio, Francisco, Pedro Luis, Marcus Luis, Marcelo, Marcelo Nardino, José Ricardo, João Batista, Roque, Mauricio, Bené e Válber.

Em pé: China (massagista), João Batista, José Ronaldo, Bené, Chiquinho, Roque, Marcelo Cardoso, Serginho e Ronaldo Goldoni (técnico). Agachados: Válber, Zé Ricardo, Maurício, Marquinho, Pedro e Marcelo Nardino.

 

O Fluminense

Terça-feira, 7 de dezembro de 1982

Niterói Rugby na Taça Brasil

A delegação do Niterói Rugby de handebol deixa hoje de madrugada o Rio de Janeiro com destino a Santa Maria, interior do Rio Grande do Sul, onde disputa a partir de amanhã a III Taça Brasil de Handebol de Clubes Campeões. O Niterói Rugby terá pela frente equipes campeãs e vices em seus estados e será o único representante do Rio de Janeiro, direito adquirido com a conquista do bicampeonato estadual de handebol.

O técnico Ronaldo Goldoni encerrou ontem com uma leve recreação os treinos com vistas à III Taça Brasil e acredita retornar do Rio Grande do Sul com o título: “Estamos preparados para isso. A equipe está unida e o nosso objetivo é ficar com mais esse título.”

Além do Niterói Rugby, estarão se exibindo a equipe cede de Santa Maria (RS), Internacional (RS), Ginástico (MG), Pinheiros (SP), Olímpico de Maringá (PR), Goio Ere (PR), Universitário de Florianópolis (SC).

O Niterói Rugby realizou todos os seus treinos na quadra descoberta do Centro Educacional, no Pé Pequeno. Comandados por Ronaldo Goldoni, os jogadores se empenharam ao máximo, porque esperam conquistar o título da Taça Brasil de Clubes para serem os representantes brasileiros no Campeonato Sul-Amaricano de handebol na próxima temporada.

Um dos destaques do time e titular da seleção carioca que ficou em terceiro lugar em Fortaleza, no brasileiro deste ano, João Batista, em uma só frase resume o pensamento de todos: “Vamos para ganhar e colocar o Niterói Rugby no panorama nacional de handebol.”

Para o treinador da equipe niteroiense, os treinos realizados nas duas ultimas semanas foram muito importantes: “Tivemos tempo de arrumar alguns setores e forçar mais a parte física e a velocidade. A força está influindo no jogo e como a seqüência das partidas será desgastante, temos que estar preparados. E a velocidade será importante na parte tática".

O Niterói Rugby segue hoje para Santa Maria com três goleiros: Serginho, Chiquinho e Zé Ronaldo. Os jogadores de linha são: Pedro, Marquinho, Roque, Mauricio, João Batista, Marcelo Nardino, Marcelo Cardoso, Zé Ricardo, Bené e Walber, além do massagista China. A equipe, que fará seu primeiro jogo contra um adversário a ser sorteado amanhã, na sede do Santa Maria, será definida momentos antes da partida. A princípio todos têm possibilidades de entrar, disse Ronaldo Goldoni.

“O Niterói Rugby ficou em 3º Lugar na III Taça Brasil de Clubes Campeões.”

 
Resposta da Enquete: Juvenil Tri - Brasileiro (89, 90 e 92). PDF Imprimir E-mail

Juvenil Masculino foi Tricampeão Brasileiro (89,90 e 92).

Sem dúvida alguma foi um período de ouro na história do handebol do Niterói Rugby. Tinhamos uma geração muito técnica e um grupo muito unido. O 1º título brasileiro juvenil foi em Niterói, campeonato realizado na quadra do Colegio Salesianos Santa Rosa.

Niterói Rugby Campeão Brasileiro Juvenil 1989

Em pé: João Medeiros (Presidente); Marcelo Tinôco; Klaus; Rodrigo; Pantera; Marco Paulo; Cotó e Brasil (técnico). Agachados: Chacrinha; Mauricio; Célio; Léco; Alfredo; Marcelo (Pulga) e Claudio (Dassa).

 

A FOTO do TÍTULO

Técnicos: Ronaldo Goldoni e Luiz Antônio Brasil. A foto está horrível, foi retirada de um jornal da época, quem possuir a foto original envie uma cópia para o e-mail: ( Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. ). Vou tentar identificar os atletas da equipe: Em pé: João Medeiros (Presidente do Niterói Rugby); nº10 Marcelo Tinoco (o craque da equipe e melhor jogador da competição); nº3 Klaus (Guerreiro); nº17 Pantera ( pivô e defensor de raça) ; Leco (infanto); nº13 Alfredo (jogador versátil, bom defensor); Cotó (o melhor goleiro do Brasil da categoria); Rodrigo (central, excelente potencial de finalização); o atleta com uma criança no colo é o Marco Paulo (melhor defensorda equipe). Agachados: Ao lado de Ronaldo Goldoni (de preto); Marcelo "Furúnculo" (reserva na ponta esquerda); Maurício "Chileno" (muito técnico, craque); Célio (armador e ponta direita, jogava muito); Gustavo "Guda" (central reserva, infanto); Marcelo "Pulga" (pivô inteligente e grande liderança); Dassa (goleiro rápido) e Chacrinha. 

Resultados: Niterói Rugby 32 X 24 Carajás (MA); Niterói Rugby 24 X 11 Olaria (RJ);Niterói Rugby W X O Monte Pascoal (BA); Niterói Rugby 31 X 13 Cruzeiro (SC); Niterói Rugby 21 X 11 Pinheiros (SP); Semifinal: Niterói Rugby 23 X 17 Mangueira (RJ); Final: Niterói Rugby 17 X 14 Pinheiros (SP). 

 

Niterói Rugby Bicampeão Brasileiro 1990 

Em pé: Renato "Boca Mole"; Carlos; Luciano; Célio; "Meinha" (massagista emprestado do Aruc); Marcelo "Boi" (considerado o 2º melhor jogador da competição), Marcelo "Pulga" e Vladilson "Chacrinha" (técnico). Agachados:  Cotó; Gustavo "Guda"; Klaus (um monstro); Evandro e Marcelo "Furúnculo".

A competição foi realizada em Aracajú (SE), fomos de ônibus comum e sinceramente não havíamos treinado muito. Porém, contávamos no elenco com seis campeões brasileiros (muita experiência). Fomos crescendo durante a competição.

Na 1ª fase nos classificamos para as semifinais em  2º lugar na chave, com um empate frente a equipe de Pernambuco, uma derrota para Chapecó e uma vitória contra a equipe do ARUC (DF). Na semifinal pegamos o favorito E.C. Pinheiros, no 1º tempo estávamos perdendo por seis gols de diferença e os caras começaram a tirar onda. Lembro que estavam filmando o jogo e  no início do 2º tempo até desligaram a câmera. Chacrinha (técnico), arriscou tudo e mandou marcar 4+2, saindo nos dois armadores da equipe. Fomos tirando a diferença aos poucos e empatamos no último minuto, ainda tivemos a chance de vencer a partida no sete metros que o Klaus perdeu (o único 7m perdido por ele naquela competição), faltando 3 segundos  para terminar o jogo.  Na prorrogação deu Niterói Rugby, na RAÇA.

A final foi contra Chapecó, equipe técnica e estruturada. Chapecó, na época, era a melhor equipe adulta do país e alguns desses juvenis treinavam nessa equipe.  Mas não deu pra eles e devolvemos a derrota da fase classificatória pelo mesmo placar:  Niterói Rugby 23 X 22 Chapecó. Bicampeão Brasileiro. Lembro que todas as equipes voltavam para o alojamento no mesmo ônibus, a galera do Niterói zoando tudo, cantando todas as músicas possíveis, inclusive: "Ei paulista vai tomar no ...", os caras enfiaram a viola no saco e ficaram quietinhos.

 

Niterói Rugby Tricampeão Brasileiro 1992

Em pé: Tunico (armador direito canhoto, força pura, porrador); Chacrinha (Técnico); Vinicius (gande goleiro); Bernardo (um dos maiores marcadores do Niterói Rugby, até ali Bruno Souza era o irmão do Bernardo); Evandro (já na ponta direita); Marcio; Guda (capitão e grande líder). Agachados: Fabrício (um dos melhores jogadores do Niterói, ainda infanto); Gustavo "Lobisomem"; Saulo (pivô de força, ainda na ativa); Bruno Cunha (pura raça); Sandro; Manoel (muita técnica); Alemão (eleito o melhor jogador da competição) e José Guilherme "Zeca" (jogador de personalidade marcante). Não estão na foto o pivô Carlos e o goleiro Roberto, que não jogou por ter sofrido um acidente de carro antes do início da competição, o título foi dedicado a ele.

Pode parecer que surgiu uma nova geração, do nada, no Niterói Rugby. Não é verdade!! Da equipe que conquistou o 1º Título Brasileiro Juvenil em 89, apenas o Capitão "Guda" fazia parte do título de 92. Guda, Evandro e Carlos (que não está na foto), apenas três atletas da equipe de 92 estavam na conquista de 1990. Contudo, grande parte desse grupo fez a final do Brasileiro de 1991, em Cambé (PR). A competição foi por pontos corridos e se tivéssemos vencido o último jogo, contra a equipe da casa, teríamos conquistado o título Brasileiro. O Niterói Rugby perdeu pelo placar mínimo e foi a única equipe que venceu Maringá (PR), campeão da competição.

Vale ressaltar que naquela época, no Brasil, a categoria juvenil era até 19 anos. Em Dezembro de 1991, na cidade de Iporã (PR), o Niterói Rugby participa, pelo que me consta, da sua única competição internacional de caráter oficial. Estava em jogo o título Sul-americano de clubes da categoria juvenil (18 anos). Participaram dessa competição River Plate (ARG); Niterói Rugby (BRA); Iporã (BRA); Seleção de Montevidéo (URU), Sociedade Alemã de Ginásia (ARG) e mais uma equipe do Paraguai. A competição foi por pontos corridos e o Niterói Rugby ficou em 3º Lugar, atrás das duas equipes argentinas. Campeão River Plate (base da seleção argentina). Veja a equipe tricampeã brasileira se formando.

Em pé: Vladilson "Chacrinha";Tunico; Carlos; Evandro; Bernardo; Alemão e Roberto. Agachados: "Topeira"; Guda; Filipe "Fiu"; Sandro; Manoel e Marcio. Não estou na foto (Luciano Peçanha), mas estava de auxiliar técnico. Eu tenho o DVD da disputa de 3º lugar. (quem quiser...).

Outro feito desse grupo foi a participação de alguns atletas comandados pelo Profº Brasil, técnico da  seleção estadual, que foi disputar em julho de 1992 o Torneio de Teramo (ITA), maior competição aberta de handebol do mundo, onde participam equipes e seleções nacionais. A base dessa equipe estadual era formada por atletas do Niterói Rugby: Roberto (goleiro); Alemão (ponta esquerda); Bernardo (armador esq.); Tunico (armador dir.); Evandro (ponta dir.) e Bruno Cunha (pivô). Eram 64 equipes representando 40 países na categoria (19 anos). Oito chaves com 8 equipes cada, só classificava para as quartas-de-finais o 1º colocado de cada grupo. A seleção estadual eliminou seleções da França, Hungria, Suiça e venceu a semifinal contra a Polônia pelo placar de 11 X 8. Fomos derrotados na final pela seleção italiana por 7 X 5. Maior feito de uma seleção carioca em todos os tempos.

Depois de toda essa bagagem, fica mais fácil conquistar um título nacional. Em novembro de 1992, novamente a competição foi em Niterói, no ginásio do Colégio Salesianos, nossa "La Bombonera", teve início a competição nacional mais importante da categoria. Estavam presentes no brasileiro os clubes: Sagrada Família (AL); Asfub (DF); Coríntians de Santa Maria (RS); Tubarão (PR); Maringá (PR); Petropolitano (RJ); Sírio (SP) e Niterói Rugby (RJ). Na final do Brasileiro, casa cheia, o Niterói Rugby venceu a equipe de Maringá (PR) pelo placar de 21 X 17 e se sagrou Tricampeão Brasileiro Juvenil. Nessa época, eramos a 1ª equipe no Ranking Brasileiro Juvenil e 3ª no Junior. Alexandre Kovacs (Alemão) foi eleito o melhor jogador da competição.

Não para por aí, sabe aquela equipe juvenil de 1989? Pois é, ganhou o título Junior. Vamos contar essa história futuramente.

TRI-------89----90----92------!!!!!!!!!!

 
<< Início < Anterior 1 2 Próximo > Fim >>

Página 1 de 2

NRFC - Niterói Rugby Football Clube

Copyright © 2017 NRFC - Niterói Rugby Football Clube. Todos os direitos reservados.
Joomla! é um Software Livre com licença GNU/GPL v2.0.
RocketTheme Joomla Templates